[Bullying] Quem será você quando esse texto acabar?

OLHA QUEM APARECEU!!!

Lindíssima sumiu toda...
Faz um tempão que não atualizo e tava com muita saudade daqui, aliás, anotei zilhares de ideias de posts bem legais pra vocês, mas pra variar, ainda não escrevi um por inteiro. (Mas vai sair)

Mas enfim, consegui esse tempinho livre pra dividir com vocês um poema, barra poesia, barra reflexão, que escrevi meio sem querer enquanto tentava terminar um artigo de opinião pra faculdade.

Acho importante sempre tratarmos desse tema que ainda machuca muita gente e trás consequências horríveis pra vida de muitos: o bullying.

Ainda pretendo escrever muitas coisas a respeito disso, inclusive, sobre o que passei na época da escola, mas por enquanto é isso, espero que ajude algumas pessoas a repensar na forma que agem com os outros. <3

----------------------------------------



Você lembra daquela pessoa, aquela pessoa, 
que você zombou, zoou, brincou, humilhou, pisou, constrangeu, 
bateu com palavras que provavelmente feriram mais que correntes ferventadas a fogo alto

Você lembra da sensação, aquela sensação, 
de que você era maior, melhor, mais forte, inteligente, esperto, 
engraçado, divertido, o dono do mundo

Consegue lembrar o que causou? 
É capaz de lembrar-se da dor que provocou? 
Consegue ponderar o mal que suas palavras desencadearam? 

Você lembra das expressões, reações, lágrimas, 
bochechas vermelhas, sorriso torto, medo nos olhos, as constantes faltas,  
as mãos suadas, o trincar dos dentes,  
os passos largos até a saída e curtos até a entrada?

Você estava mesmo lá? Você foi capaz de notar? 
A estrela vítima do seu ódio pode não ter tido
a oportunidade de sequer brilhar no céu 
Se for verdade o que me foi dito 
então a fuga do sufoco não lhes permite nem mesmo um lugar no paraíso 

Não se lembre com culpa, passado não se muda,  
angústia passa e o afunda, mas o que importa é aquilo que se pode alterar 
Quem será você quando esse texto acabar?  
Que diabos de educação a teu filho irá passar? 
Irá valorizar o ombro amigo ou dará risadas ao contar quem foi você ao seu filho? 

Não seja a dor das pessoas que não podem mudar 
Se não concorda, custa tanto se calar? 
Não deveria ser pedido, mas sim a sua obrigação,  
se importar com o próximo,  conheça ele ou não 

Não seja a corda, a gilete ou o veneno de alguém 
Seja um bom amigo, a mão que se estende 
Você não pode mudar o passado 
Mas pode salvar o futuro de outrem 


Nenhum comentário:

2016. Conteúdo autoral. Imagens Google/Autorais. Layout: Andressa Ellen. Tecnologia do Blogger.